Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.13/1232
Título: O absentismo nos estudantes e as vivências académicas nas insituições de ensino superior da Região Autónoma da Madeira
Autor: Andrade, Soraia Filipa Gomes Ferreira Espinho
Orientador: Franco, Maria da Glória Salazar d'Eça Costa
Palavras-chave: Psicologia da educação
Absentismo
Perceção
Realidade
Vivências
Académicas
Estudantes
Universitários
Perceção sobre o absentismo
Alunos
Ensino Superior
Universidade
Região Autónoma da Madeira
Instituições educativas
Madeira (ilha)
Recolha de dados
Escola Superior de Enfermagem São José de Cluny
Instituto de Administração e Línguas
Universidade da Madeira
Vivências académicas
Estudantes universitários
Psicologia da Educação
.
Faculdade de Artes e Humanidades
Data de Defesa: Fev-2016
Resumo: O presente estudo surge com o intuito de fazer um levantamento sobre a realidade do absentismo nos estudantes do 2º e 3º anos das instituições de ensino superior da Região Autónoma da Madeira (RAM). Este incide na compreensão da problemática do absentismo no ensino superior, sendo que mais especificamente, pretende-se, compreender qual a perceção que os estudantes têm do seu absentismo, realizar um levantamento dos motivos causais que os estudantes evidenciam para o absentismo e identificar a respetiva relação com as vivências académicas. Para a realização desta investigação, recorreu-se a uma amostra constituída por 282 estudantes, sendo que 14 frequentam a Escola Superior de Enfermagem São José de Cluny, 14 pertencentes ao Instituto de Administração e Línguas (ISAL) e 254 relativos à Universidade da Madeira, 173 do sexo feminino e 109 do sexo masculino com idades compreendidas entre os 19 e os 56 anos de idade. Aos inquiridos foi disponibilizado um questionário Sociodemográfico, um questionário sobre o Absentismo na Universidade e um questionário de Vivências Académicas. Em traços gerais, os resultados obtidos indicam que os estudantes percecionam ter um bom nível de presença às aulas. No entanto, existe uma percentagem de estudantes que admitem faltar com alguma frequência nomeadamente quando não há registo de assiduidade. Apesar de não serem encontradas diferenças significativas, os dados indicam que a prevalência do absentismo é mais observada no sexo masculino. Relativamente ao ano de escolaridade, verificaram-se diferenças significativas, na medida em que os estudantes do 2º ano apresentam níveis mais elevados de absentismo. Os motivos apresentados pelos estudantes para uma maior ausência às aulas, são principalmente o modelo de ensino, o estado físico e psicológico, o estudo e preparação de trabalhos/frequências e o horário das aulas. No que concerne às vivências académicas, constatou-se que os estudantes na sua globalidade revelaram estar mais adaptados a nível pessoal e vocacional e, de seguida, a nível de estudo-aprendizagem, interpessoal e institucional.
URI: http://hdl.handle.net/10400.13/1232
Designação: Mestrado em Psicologia da Educação
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MestradoSoraiaAndrade.pdf2,97 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.